Dentro do tema do trimestre “Cultura”, os alunos construíram seus pavilhões utilizando pesquisas e também o aprendizado de sala de aula. Desta forma, as atividades, brincadeiras e painéis de cada pavilhão enfocaram os conteúdos estudados. A construção foi coletiva e os professores estimularam os alunos a compartilharem o conhecimento utilizando a criatividade.

Confira alguns momentos da nossa festa cultural realizada no dia 15/06:

Infantil: as estações do ano e a cultura

Ao longo do trimestre, os alunos do ciclo Infantil trabalharam dentro do tema Cultura as estações do ano. Nas apresentações durante a Festa Cultural, eles puderam mostrar o aprendizado de diversos modos.

As comidas, roupas e atividades apropriadas a cada estação, além de seus efeitos nas mais diversas culturas, estavam presentes nos trabalhos e nas brincadeiras montadas no pavilhão.

 

“Ela estava super ansiosa para vir, comentava em casa como seria, o que ia fazer, o que estava aprendendo na preparação. É muito legal essa conexão entre a criatividade, conhecimento e aprendizado”, relatou Raquel Chedid, mãe da Laura, do Infantil IA.

 

 

Essa mesma ansiedade pela festa foi sentida pelo Lorenzo K. Ornelas, do Infantil IID, que também aprendeu muito com as apresentações das outras turmas, como do Primário.

“Ele estava muito na expectativa. A diversidade cultural foi muito bem apresentada. Ele comentou bastante do Egito e do Japão”, revelou a mãe, Marjory E. Kogawa.

Primário I: as formações culturais do Brasil 

Durante os preparativos para a Festa Cultural, os alunos do Primário aprofundaram os estudos sobre a cultura de diversos países. Os estudantes do Primário I puderam compreender como os costumes de Portugal, Itália, Espanha, Alemanha e Japão ajudaram na construção das artes, culinária, dança e tantos outros aspectos culturais brasileiros.

“Eles aprenderam demais. Nesse tempo de preparação, ela pesquisava na internet, queria saber mais, buscava livros, pediu para fazer comida espanhola em casa para saber como era e falava palavras em espanhol com o irmão para treinar o idioma”, revelou Marcela B. Freddi, mãe da Bárbara, do Primário IB e do Henrique S. Freddi Filho, do Infantil IA.

Com o aprendizado, os alunos puderam fazer a conexão com o próprio cotidiano, como contou Priscilla N. F. Gomes de Sá, mãe da Isabella N. F. Gomes de Sá, também do Primário IE e da Rafaella N. F. Gomes de Sá, do Primário IA.

“Trazer esse lado cultural, ainda nessa idade, faz com que eles conheçam as tradições de outros países, mas também a ligação com a nossa história, com o nosso cotidiano. Minhas filhas aprenderam muito sobre os laços com o Brasil”, contou.

Primário II: os mistérios do Egito

Um pouco mais distante do Brasil, mas muito marcante para os alunos do Primário II, foram estudados os diversos aspectos da civilização do Egito Antigo. Os alunos pesquisaram sobre as pirâmides, os faraós e se encantaram com as danças típicas e os encantadores de serpentes.

 

As apresentações explicaram os simbolismos de cada elemento. “Não sabia muito sobre o Egito. Aprendi bastante sobre as pirâmides, que simbolizavam os raios de sol brilhando na direção da Terra. Também vi como os faraós faziam as tumbas e o que significavam”, explicou Laura Di Ninno Ferreira, do Primário IIC.

No pavilhão, os alunos representaram os costumes, as vestimentas, a arquitetura e outros elementos típicos da cultura local.

Fundamental II: as diversas lentes da cultura

Na Festa Cultural, o pavilhão preparado pelos alunos do Ensino Fundamental II trouxe os mais diversos aspectos culturais, observados a partir de diferentes óticas.

A ideia foi o desenvolvimento da capacidade interdisciplinar, com projetos contextualizados a partir das ciências sociais, artes e linguagens e tecnologia, além de envolverem projetos sociais, praticando a trocas de experiências. Englobaram, ainda, a Fórmula 1, demonstrando a cultura do automobilismo e das competições.

“Foi difícil no começo, mas aprendemos muito com as pesquisas. Meu grupo, por exemplo, buscou sobre o nazismo. Falamos sobre a parte do cérebro afetada quando você recebe a influência de uma pessoa, as ideias do Hitler e também sobre a queda dele”, contou Enzo S. Prata, do 6º ano.

“Acho importante essa proposta, pois eles aprendem de uma maneira lúdica e é muito interessante ver a evolução deles, o conhecimento que adquirem quando se envolvem nesses projetos. O ir além do conteúdo de sala de aula é um aprendizado para a vida. Buscar o aprender sempre!”, apontou Isabel C. S. Melo Prata , mãe do Enzo.

As tradições de países da América Latina, do Canadá, Estados Unidos, Inglaterra e África do Sul também estiveram presentes nas apresentações no ginásio.

Ensino Médio: os movimentos artísticos brasileiros

Tropicália, tropicalismo ou movimento tropicalista foi um movimento cultural brasileiro que surgiu sob a influência das correntes artísticas da vanguarda e da cultura pop nacional e estrangeira, misturando manifestações tradicionais da cultura brasileira à inovações estéticas radicais. A partir do tema trimestral “Cultura”, nas aulas de Artes e Projetos os alunos conheceram mais sobre esse assunto e suas mais diversas visões. Os produtos dessas pesquisas foram expostos na Festa Cultural.

No ginásio, os alunos foram devidamente caracterizados para dançar e coreografar algumas das principais músicas produzidas pela Tropicália e também pelo Parangolé, de Hélio Oiticica, que propunha o uso da arte como uma forma de livre expressão.

“É uma festa diferente da tradicional. Ela amplia o que eles estão vendo em sala de aula e também leva esse conhecimento para toda a comunidade, mostrando outras culturas, trazendo uma proximidade maior. É um aprendizado compartilhado: dos alunos com o público da festa”, opina Adhemar Salgado Junior, pai da Gabriela Salgado, da 2ª série do Ensino Médio. “O produto final é muito bom. A criatividade, o trabalho em equipe. Os pilares que a FourC trabalha podem ser muito bem vistos nessa festa”, completa.

No pavilhão elaborado a partir das pesquisas feitas pelos estudantes, os movimentos artísticos brasileiros desse período também estiveram presentes.

Compartilhando conhecimento!

A exemplo do que acontece todos os anos, a Escola abre as portas na segunda-feira seguinte a Festa Cultural para as crianças de uma entidade conhecerem os projetos desenvolvidos pelos nossos alunos. Neste ano, tivemos uma novidade: a vinda também da entidade do Projeto Social com o qual o 9º ano está trabalhando, a Aelesab. Os alunos recepcionaram as crianças da Aelesab e da Casa Esperança, mostraram os pavilhões, brincaram no parque e nos pavilhões da Festa. Foram momentos de interação e compartilhamento de aprendizado e diversão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese